01/06/2016

Em informativos anteriores, traçamos um resumo da história da previdência e abordamos a regulamentação da previdência privada.

Seguindo os padrões internacionais, a previdência no Brasil é constituída por três modalidades: Previdência Social, mantida pelo Governo Federal, Previdência Complementar Aberta e Previdência Complementar Fechada.

A previdência aberta é aquela comercializada pelas instituições financeiras a qualquer pessoa física, em regime de capitalização, com adesão voluntária, sem efeito contributivo e com objetivo de obter lucro.

Já a Previdência Complementar Fechada é oferecida pelas empresas ou associações de classe aos seus trabalhadores ou associados/vinculados, respectivamente. Como a aberta, também é voluntária e adota o regime de capitalização. As principais diferenças são: o efeito distributivo, que, dependendo da modalidade do plano de benefício, tem efeito distributivo; pode ser de benefício definido ou contribuição definida; e não visa lucro.

As Entidades Fechadas de Previdência Complementar (EFPC) constituem instituições sem fins lucrativos e os recursos administrados pertencem aos participantes dessas instituições. O SERPROS se enquadra neste segmento.

Quer conhecer mais sobre a estrutura da previdência no Brasil? Inscreva-se no curso a distância Plano Serpro II: Previdência Complementar do Serpro. A atividade está disponível no calendário da UniSerpro Virtual.

Pitadas de educação: conheça as três modalidades da previdência