20/06/2016

Para o pleno funcionamento de uma Entidade Fechada de Previdência Complementar (EFPC), é necessário que seja realizado o gerenciamento dos riscos que possam comprometer, no longo prazo, o cumprimento dos compromissos assumidos com os participantes. A gestão integrada de riscos possibilita a identificação e avaliação de riscos inerentes ao negócio.

Sob a ótica da gestão baseada em risco, adotada pelo mercado e cada vez mais exigida pelo órgão de fiscalização, o SERPROS passou a adotar o modelo preventivo e proativo de gestão de riscos, de forma dinâmica e integrada. Coube à Gerência de Controles Internos (Gecon) essa responsabilidade.

A Gecon foi criada durante o regime especial de intervenção, em 2015, quando o SERPROS passou por uma reestruturação, que envolveu, entre outros pontos, a revisão dos processos internos sob a ótica do risco. A área está diretamente subordinada ao Diretor Presidente, Antônio Carlos Melo da Silva.

A estruturação da Gerência de Controles Internos no SERPROS teve como principal objetivo a implementação efetiva do processo de gestão de riscos e controles na Entidade, de forma a propiciar maiores condições de segurança, transparência e melhor desempenho de seu dever fiduciário.

Gestão baseada em riscos

A Resolução CGPC 13/2004 estabeleceu uma série de regras e princípios que devem ser observados no âmbito da gestão, dos controles internos e da governança corporativa das EFPC, com providências de adequação claramente definidas.

Nesse contexto, a Gecon implementou nova metodologia de controles internos, por meio da qual foi possível traçar uma visão macro da Entidade. A atuação da gerência se baseia nos seguintes pilares: gestão dos processos internos, gestão de riscos e gestão de conformidade.

A Gecon mapeou todas as áreas do SERPROS, revisando seus processos, a fim de elaborar fluxogramas e formalizar suas atividades. Foi responsável, ainda, pela elaboração da cadeia de valor da Entidade, até então inexistente. Vale ressaltar que a atualização desse trabalho é contínua e conta com a colaboração de todas as áreas da empresa.

A Gerência de Controles Internos identifica, avalia, controla e monitora os riscos inerentes aos processos do SERPROS, além de apoiar o desenvolvimento de planos de ação para reduzi-los e evitá-los. A área também mapeia e revisa as documentações relativas aos processos operacionais e acompanha o cumprimento das obrigações legais, reportando em tempo hábil as possíveis irregularidades à Diretoria Executiva (DE).

Equipe multidisciplinar

À frente da Gecon, a atuária Raquel Volpi traz experiências determinantes sobre riscos. Além de participar da Comissão Técnica Regional de Governança da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), atualiza constantemente a equipe de analistas, que compartilham experiências de mercado e fundo de pensão.

Gecon e Diretor-Presidente
Da esquerda para a direita: as analistas da Gecon, o Diretor-Presidente do SERPOS, Antonio Carlos Melo da Silva, e a gestora da área, Raquel Volpi
Por dentro da gestão de controles internos